O mais impressionante na vida é a forma ciclica como tudo ocorre. A forma como os sentimentos e as acções humanas, passem os anos que passem, tendem a repetir-se.
 
Timão de Atenas é uma obra de William Shakespeare que terá contado com a colaboração de Thomas Middleton e terá sido escrita no inicio do seculo 17. Esta peça dividida em dois actos apresenta-nos a interacção de um grupo de pessoas com o rico ateneense Timão. 
Acompanhamos durante duas horas e meia as peripécias de Timão e seus companheiros e a forma como o dinheiro, ou a falta dele, aproxima ou afasta os eixos de ligação entre pessoas. A ganância e o esbanjamento são apresentados lado a lado, o interesse e o desinteresse são-nos mostrados como meros resultados das subidas ou descidas no estrato economico-social de seres influentes.
Esta peça é apresentada com uma cenografia interessante, um guarda roupa excêntrico mas em linha com a abordagem ao texto que foi tomada e com um muito bom desenho de luzes. A interpretação é bem feita e o entrosamento entre os actores transparece cumplicidade.
O primeiro acto poderia por si só vender uma história. Deslumbra-nos pelo arrojamento, pela diferença, por mostrar de uma forma transparente e directa, as imundicies sociais que ainda hoje povoam a natureza humana. A forma sórdida como algumas personagens reagem ao que lhes foge dos dedos toca o cómico ao mesmo tempo que acrescenta uma pontuação dramática ao acto.
Naturalmente, para representar esta peça seria necessário apresentar os dois actos e, após um pequeno intervalo, somos apresentados a um segundo acto, ligeiramente mais curto que nos mostra as consequências do esbanjamento desmesurado. O arrojamento mantém-se mas não surpreende não podendo deixar de salientar o bom trabalho das equipas já mencionadas – o texto quase nos dá a entender que o próprio escritor foi deixando desvanescer a importância inicialmente atribuida às personagens e ao drama.
 
E é com o Timão de Atenas, em pleno Chiado, que damos as boas vindas à temporada 2018/2019 do Teatro São Luiz. E não se esqueçam, o bilhete suspenso é o único que não esgota.
Timão de Atenas, de William Shakespeare
13-23 setembro 2018
São Luiz Teatro Municipal
Lisboa
ENCENAÇÃO Nuno Cardoso
TRADUÇÃO Fernando Villas-Boas
ASSISTENTE DE ENCENAÇÃO Mafalda Lencastre
CENOGRAFIA F Ribeiro
DESENHO DE LUZ José Álvaro Correia
DESENHO DE SOM E SONOPLASTIA Pedro Lima
FIGURINOS Fernando Nunes, Nelson Vieira
TÉCNICO DE LUZ E MONTAGEM João Teixeira
PRODUÇÃO Marca-d’água / Ana Carvalho, Inês Carvalho e Lemos, Sandra Carneiro
INTERPRETAÇÃO Afonso Santos, António Parra, João Melo, Joana Carvalho, Luís Araújo, Margarida Carvalho, Mário Santos, Miguel Loureiro, Pedro Frias, Rodrigo Santos, Sérgio Sá Cunha
APOIOS Elis, Julio Torcato, Murganheira, Silampos, Teatro Nacional de São João, Valadares, VICRI
COPRODUÇÃO Ao Cabo Teatro, Teatro Municipal do Porto, Centro Cultural Vila Flor, Teatro Aveirense e São Luiz Teatro Municipal
Foto de José Caldeira
Categorias: Teatro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *