André Murraças está ligado ao teatro como encenador, dramaturgo, cenógrafo e intérprete, sendo autor de diversos solos e peças ao longo dos últimos anos. Em “O Criado”, propôs-se homenagear o filme e o livro com o mesmo nome, mas também a vida do actor Dirk Bogarde, que o interpretou no cinema.

Teatro, cinema, literatura e vídeo cruzam-se durante este espectáculo de forma muito bem conseguida. Seja no espelhar pelo interprete do vídeo do filme projectado na parede, seja no recurso ao live video logo no genérico inicial do espectáculo e ao longo deste, seja nas performances musicais que por duas vezes acontecem.

É um solo de André Murraças, no sentido em que é o único actor em palco. Não o é, no sentido em que outros seis actores fazem leituras do livro (em vídeo) durante o espectáculo, à medida que André vai arrumando e desarrumando objectos numa mesa, que são captados ao vivo em vídeo, e que dão vida às cenas que estão a ser lidas.

Em resumo, uma peça de que gostei muito, que toca em temas importantes tais como o desejo, o dinheiro e a sexualidade.

2-5 Novembro 2017
Rua das Gaivotas 6
Lisboa

Encenação, realização, adaptação do texto e cenografia: André Murraças
Vídeo: Miguel Leitão
Interpretação: André Murraças e Anabela Brígida, André Patrício, Vanda Cerejo, Henrique de Carvalho, Isabel Milhanas Machado, Nuno Gonçalo Rodrigues
Produção: Um Marido Ideal

Categorias: Teatro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *