Mulheres. As suas vidas, as suas visões sobre a vida. Susana Paixão, Joana Brito Silva, Mariana Fonseca e Beatriz Baptista começaram o processo de Ishá numa residência artística de um mês em Serpa, onde entrevistaram inumeras mulheres e iniciaram o processo de recolha de material para este espectáculo.

O resultado, que vimos no Teatro Municipal Amélia Rey Colaço, foi o resultado dessa recolha e do processo criativo que se seguiu. As três actrizes (e um músico, João André Silva), desdobram-se entre os papeis de narradora, contando as histórias das mulheres retratadas, de interprete, dizendo as palavras dessas mulheres, e da primeira pessoa, relatando episódios da sua própria vida. Estes três papeis por vezes confundem-se de uma forma intencional, o que acrescenta atractivo à peça.

As quatro criadoras trabalharam o papel da mulher neste espectáculo de teatro documental. Assistimos a testemunhos na primeira pessoa de várias mulheres de gerações diferentes, e com experiências de vida muito distintas. Essa riqueza de experiências contribui para um espectáculo rico de emoções, que nos levam ao riso, mas também à comoção.

O trabalho cénico está muito bem conseguido, e a interacção do vídeo com as actrizes está feito com ritmo e de uma forma eficaz. Também os adereços, escolhidos com intenção, contam uma história.

No fundo, ao longo uma hora e pouco, as actrizes em palco (e nos ecrãs) levam-nos pelo ciclo da vida, trazendo testemunhos que nos levam a reflectir sobre essa mesma vida, e sobre os caminhos que vamos escolhendo ao logo dela.

Entrevista de Susana Paixão, Joana Brito Silva, Mariana Fonseca e Beatriz Baptista ao Coffeepaste

Ishá – a mulher que…
26 de janeiro a 3 de fevereiro 2018
Teatro Municipal Amélia Rey Colaço
Algés

Com: Beatriz Baptista; Joana Brito Silva; Mariana Fonseca
Video: Susana Paixao
Espaço Acústico: João André Silva

Categorias: Teatro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *