Na sinopse do espectáculo, Tânia Carvalho esclarece que chegou ao título da peça depois de a ter começado a criar, e não antes. Um Icosaedro é um polígono de 20 faces, como 20 são os bailarinos que interpretam a peça.

Os bailarinos movimentam-se em cena de forma fluída, ora simulando um único corpo, ora vinte, ora quatro grupos de cinco (quatro unidades dentro do grupo). Estas várias somas de corpos espalham-se pelo palco de forma belíssima.

Se a primeira parte do espectáculo é mais pausada, dando espaço ao público para apreender a sua lógica, a segunda acelera o ritmo e culmina numa cena catártica de libertação de fantasias(fantasmas? fetiches? pulsões?).

Duas horas geométricas, mas orgânicas, em que das vinte unidades se forma um todo coerente e belo.

Iconshedron foi o arranque de um ciclo dedicado aos vinte anos de trabalho da coreógrafa Tânia Carvalho, que se estende por dois meses e que vai passar, além do Maria Matos, pelo Teatro São Luiz e pelo Teatro Camões.

Icosahedron, de Tânia Carvalho
19 e 20 de janeiro
Teatro Maria Matos
Lisboa

coreografia e direção: Tânia Carvalho
bailarinos:
Bruna Carvalho, Bruno Senune, Elena Castilla, Elizabete Francisca, Filipe Baracho, Filipe Pereira, Florent Hamon, Francisca Pinto, Inês Campos, Jácome Filipe, Jutta Bayer, Luis Guerra, Luiz Antunes, Maria João Rodrigues, Marta Cerqueira, Maureen Lopez, Ramiro Guerreiro, Sérgio Diogo Matias, Teresa Silva, Vânia Doutel Vaz
assistente: Pietro Romani
música: Diogo Alvim
desenho de luzes: Tânia Carvalho e Zeca Iglésias
direção técnica: Zeca Iglésias
figurino: Aleksandar Protic
produção: Tânia Carvalho
produção (até dezembro 2014): Bomba Suicida
produção executiva e difusão: João Guimarães
coprodução: Culturgest, Rencontres chorégraphiques internationales de Seine-Saint-Denis O Espaço do Tempo, CDC Uzès Danse, Hellerau – European Center for the Arts and modul-dance, Culture Program
residências artísticas: O Espaço do Tempo, Pact Zollverein, ADC – Association pour la danse contemporaine, Buda Kunstencentrum e Hellerau – European Center for the Arts Dresden
apoio: HAU/Tanz Im August, Théâtre de la Bastille, Atelier Re.al, Câmara Municipal de Lisboa e Balletshop

foto: Margarida Dias

Categorias: Dança

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *