Foi o arranque da edição de 2019 do Festival Temps d’Images.

“Home is where your heart is” partiu de uma encomenda dos Drumming ao compositor Vasco Mendonça. A eles juntou-se a criadora Vânia Rovisco. O resultado é uma performance carregada de energia e simbolismo, muito política (o que não é, hoje em dia?) e física.

Numa sala do Palacete Gomes Freire, o público ajusta-se ao espaço disponível, sentando-se no chão, encostando-se às paredes, por forma a obter uma melhor posição.

Vânia Rovisco comanda as operações, seja num solo inicial, seja “torturando” um dos outros performers. Pano de fundo essencial é a camada musical que atravessa toda a acção.

A certa altura lemos no ecrã várias notícias de assassinatos cujo fio condutor é o Karaoke. Poderá o Karaoke provocar reacções tão violentas? Aparentemente sim. Poderá o mundo estar do avesso e preocupado com as coisas erradas? Haverá solução? O medo, o activismo, e a violência são temas que atravessam a performance.

A simbiose entre os músicos e performers é irrepreensível, e tanto os instrumentos “falam”, como os performers “fazem música”.  É o conjunto, o encontro de vozes que conta.

Em resumo, esta performance é um manifesto a favor dos diferentes, das minorias. E se um presidente fosse HIV positivo? E se uma Presidente fosse uma sobrevivente de violação? E se…

Home is where your heart is, de Vasco Mendonça com Drumming e Vânia Rovisco
Autoria e direcção artística: Vasco Mendonça
Assistência coreográfica: Vânia Rovisco
Interpretação: Vânia Rovisco e Drumming GP (Miquel Bernat, Pedro Oliveira, Rui Rodrigues)
Foto: Alípio Padilha

Mais sobre o festival em http://www.tempsdimages-portugal.com/2019/

Categorias: Performance

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *