A cena da Sala Estúdio do Teatro Nacional está vazia. Não há cenário, não se vêem adereços. 20 mulheres entram em palco transportando violinos e violoncelos, e Mónica Calle dirige-se ao público e fala sobre o espectáculo. E depois o espectáculo começa. Com as pancadas de Molière.

“Como é que se recomeça? Como é que se continua?”. São duas das questões levantadas. Tentar, falhar, voltar a tentar. Até à exaustão. 20 corpos que se dão, que não desistem. Que resistem até ao fim.

A banda sonora da peça é em grande parte o registo audio de ensaios de orquestra por grandes maestros mundiais. Também ali se repete, vezes sem conta, até acertar. As indicações do maestro nesse contexto servem de indicações para as intérpretes que reagem e interpretam as obras usando movimentos do ballet clássico.

O “Bolero” de Maurice Ravel repete-se várias vezes durante o espectáculo, e a própria obra tem por base a repetição de um tema principal. Tudo contribui para um estado de quase hipnose colectiva que se instala na sala.

“É um trabalho de conjunto mas também muito individual; a ideia é trabalhar o rigor como possibilidade de liberdade, ir cada vez mais longe, tendo consciência da imperfeição”, disse Mónica Calle à revista Visão.

Fica bem presente na memória a união destas mulheres, que repetem e resistem em conjunto, e uma força enorme que transportamos para fora do teatro e que nos faz pensar duas vezes antes de desistir.

Ficamos na expectativa da continuação deste projecto, que durará até 2021.

Ensaio para uma cartografia, de Mónica Calle
11 – 29 abril 2018
Teatro Nacional D Maria II
Lisboa

encenação e cenografia Mónica Calle
direção musical Maestro Rodrigo B. Camacho
com Alexandra Viveiros, Ana Água, Brígida de Sousa, Carolina Varela, Cleo Tavares, Eufrosina Makengo, Inês Pereira, Inês Vaz, Joana Campelo, Joana de Verona, Lucília Raimundo, Mafalda Jara, Maria Inês Roque, Marta Félix, Míu Lapin, Mónica Calle, Mónica Garnel, Roxana Lugojan, Sílvia Barbeiro, Sofia Dinger, Sofia Vitória
desenho de luz José Álvaro Correia
fotografia de cena Bruno Simão
vídeo Marcelo Pereira e Ana Maria Bastos
workshop de street dance Fábio Silva
assistência de encenação José Miguel Vitorino
produção executiva Inês Vaz
produção Casa Conveniente / Zona Não Vigiada
coprodução TNDM II
parcerias Biblioteca de MarVila, IFICT

Categorias: Dança

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *