Ler, ler muito, ler sempre, ler mais, ler melhor
~Beckett Mendes

Todos os anos leio muito. É um dos meus vícios, que abraço com prazer. O total deste ano foi de 37 livros lidos (mais dois que em 2017). Ainda é menos que um livro por semana. Mas, tendo em conta tudo o que faço, acho que é um resultado muito satisfatório.

Dentro da não ficção destaco como temas a fotografia, empreendedorismo, comunicação, produção, escrita, criatividade, e cultura e artes em geral. Na ficção viajei com Ricardo Reis e Elio, perdi-me no Hotel Memória, e nos escritos de Hillary Mantel. Li muito mais não ficção do que ficção. Pode ser em que em 2019 equilibre as contas.

Assim, aqui ficam os livros que lí em 2018:

  • O ano da morte de Ricardo Reis, de José Saramago
  • Better living through criticism, by A. O. Scott
  • Cadernos de Lanzarote I, de José Saramago
  • Avance, de Francesco Marconi
  • Call me by your name, by André Aciman
  • Walking Through Walls, by Marina Abramović
  • Leia isto se quer tirar fotos incríveis de gente, de Henry Carroll
  • A Doença, o Sofrimento e a Morte Entram Num Bar, de Ricardo Araújo Pereira
  • What is Culture for, by The School of Life
  • Rise of the Youpreneur, by Chris Ducker
  • Your Press Release Is Breaking My Heart, by Janet Murray
  • Everybody Writes, by Ann Handley
  • How to Write Non-Fiction, by Joanna Penn
  • Big Magic, by Elisabeth Gilbert
  • Digital freedom, by Matt Stone
  • Hotel Memória, de João Tordo
  • Quit your job in 6 months book 1, by Buck Flogging
  • Quit your job in 6 months book 2, by Buck Flogging
  • Stop talking start doing, by Sháá Wasmund
  • Running a Web Design Business from Home, by Rob Cubbon
  • How To Be A Rockstar Freelancer, by Collis Ta’eed Cyan Ta’eed
  • The million dollar blog, by Natasha Courtney-Smith
  • Read this if you want to be Instagram famous
  • Show Your Work!, by Austin Kleon
  • The Subtle Art of Not Giving a F*ck, by Mark Manson
  • O assassinato de Margaret Thatcher, de Hilary Mantel
  • Cadernos de Lanzarote II, de José Saramago
  • Your Museum needs a Podcast, by Hannah Hethmon
  • Estar vivo aleija, de Ricardo Araújo Pereira
  • Políticas Culturais para o Desenvolvimento
  • Suficientemente bom, desprezivelmente mau, de Luís Pedro Nunes
  • Crushing it, by Gary Vaynerchuk
  • Manual de Produção das Artes do Espectáculo, de Patrícia Castelo Pires
  • Um país levantado em alegria, de Ricardo Viel
  • So you want to be a talent agent?, by Tom “Wolf” Elliot
  • Strategic Planning in the Arts: A Practical Guide, by Michael Kaiser
  • Criar e Produzir”, coordenado por Levi Martins e Maria João Brilhante
Categorias: Livros Reflexões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *