A Peste, de Albert Camus

Ler est’A Peste nos dias de hoje, é como abrir o jornal Público todos os dias. Palavras como: infectados, mortes, pandemia, quarentena, equipamentos de protecção pessoal, salvo-conduto, entre tantos outros,…Continuar a ler →

Janeiro em retrospectiva

Deixei passar janeiro a correr. Entrei, adormecida, com todas aquelas resoluções de ano novo que teimamos em criar para não…

0

Margem, de Victor Hugo Pontes

“Sob a lua num velho trapiche abandonado as crianças dormem.” Capitães da Areia, Jorge Amado”Margem”, em cena no TECA, no…

0